google-site-verification: googled7257398dba650b7.html

sábado, 18 de maio de 2013

Menta: um armazém de propriedades medicinais


Menta: um armazém de propriedades medicinais

Menta-um-armazén-de-propriedades-medicinais2.jpg
Há vários motivos pelos quais a menta é considerada um armazém de propriedades medicinais. Pode ser usada como purificador do ar e do hálito, é um antiácido natural, resolvendo também uma série de problemas digestivos, e o chá acalma nervos já desgastados.

Uma erva versátil

Sabor agradável, aroma distinto, qualidades medicinais, e outros detalhes mais, fazem desta uma das mais variantes em utilização no reino das ervas. Suas espécies mais populares são a hortelã, a hortelã-pimenta e o poejo. Em termos comerciais, o óleo tem um valor muito maior que as folhas. É com ele que são feitos bálsamos, aromatizantes, gomas de mascar, pasta de dentes, óleos aromáticos, tônicos, sabonetes, loções corporais e óleos de banho, entre outros.
Tanto a hortelã, quanto a hortelã-pimenta, são ricas em minerais essenciais e em vitaminas, que aumentam a resistência do corpo. A abundância maior é em Vitamina C e em caroteno, que livra nosso organismo de radicais livres. Uma xícara de chá após as refeições melhora o processo digestivo, portanto é ideal depois de refeições pesadas. Este chá também pode ser usado para combater hiperacidez e dores abdominais. Quando misturado com sal preto, elimina vermes. Além do chá, as folhas podem ser usadas para fazer um suco refrescante, especial para os dias quentes. Basta espremer 1 limão num copo de água, esmagar 3 folhas de hortelã, misturá-las, e beber. Sentirá frescor imediato.
Menta-um-armazén-de-propriedades-medicinais3.jpg
Através dos séculos, essa planta medicinal vem sendo usada para tratar e curar doenças respiratórias, afeições orais, e doenças que atacam a pele. As pesquisas científicas já testaram e comprovaram seus benefícios, também para as desordens gastro-intestinais.
Para o trato oral, as folhas de hortelã, quando mastigadas, eliminam o mau hálito, clareiam os dentes, fortalecem as gengivas e previnem as formação de cáries. Fazer o gargarejo do óleo essencial, com água morna e uma pitada de sal, alivia dor de garganta, dor de cabeça, tosse e rinite.
Por suas propriedades antifungicas e anti-bacterianas pode ser usada como expectorante, já que reduz o muco e descongestiona as passagens aéreas. Logo, é um excelente remédio natural para aqueles que sofrem com asma. Também alivia enxaqueca, cãibras, distensões musculares, sendo, ainda, um sedativo leve.
Já o poejo, o popular hortelãzinho, é mais usado para aplicações externas, sendo muito eficaz para repelir insetos. Se ingerido em altas doses pode ser tóxico, provocando lesões hepáticas graves. Seu uso tópico, todavia, trata acnesarnadermatite, e queimaduras leves.
Independente da variedade, o uso não é seguro para aqueles que sofrem com azia crônica, inflamação na vesícula biliar, ou danos no fígado. O óleo não deve ser passado no interior do nariz, e doses excessivas, em qualquer caso, podem ser prejudiciais. Esta erva é realmente uma maravilha da natureza, mas deve ser usada com moderação. 

Régis de Sá

Nenhum comentário:

Postar um comentário