google-site-verification: googled7257398dba650b7.html

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Como fazer cápsulas de ervas naturais


Como fazer cápsulas de ervas naturais

Como-fazer-cápsulas-de-ervas-naturais-121d212
Ao saber como fazer cápsulas de ervas naturais poderá sempre preparar seu remédio caseiro para tratar as mais variadas condições. Esta é uma alternativa ao chá. E pode ser mais conveniente, pois nem sempre temos tempo para fazer um chá, ou estamos num local não muito propício, como no local de trabalho, por exemplo.
Antes de preparar as pílulas com ervas, o primeiro passo é comprar as cápsulas vazias. Compre aquelas de gelatina, que serão facilmente encontradas em lojas de produtos naturais, ou até mesmo numa farmácia.
Há tamanhos diferentes, e poderá escolher de acordo com a quantidade de erva que precisa diariamente.
Para preenchê-las, basta desmontar, e encher com o pó da erva, ou com o pó de raízes, não esquecendo que é válido, ainda, para os óleos essenciais. Depois de encher, feche bem as cápsulas, passe-as para um frasco pequeno, que possa ser muito bem fechado, e estará pronto.
Para fazer as cápsulas, claro, a ervas terão que estar em pó. Neste caso, basta passar uma boa quantidade de folhas já secas por um processador de alimentos, como um liquificador.
Quanto a dosagem para cada uma, considere a mesma quantia que usaria para fazer o chá. Por exemplo, se a receita diz que é necessário uma colher de sopa de ervas 2 vezes por dia, vai dividir a quantidade nas cápsulas, e beber o equivalente 2 vezes ao dia.
Ou se for uma infusão, a ser tomada 3 vezes por dia, então deverá beber 1 cápsula 3 vezes por dia.
Abaixo vamos detalhar uma receita, e esta é para a gripe e resfriado, para que tenha uma ideia mais concreta.
Bata no liquidificador 1 colher de sopa de mil-folhas, outra de pétalas de rosas secas, 1 de verbena, 1 de hortelã, 1 de raiz de valeriana em pó, e 1 de marroio branco. Depois que transformar-se num pó fino, coloque nas cápsulas.
Beba 2 cápsulas a cada 4 horas, até que os sintomas desapareçam.

Régis de sá

Nenhum comentário:

Postar um comentário